Cuiabá, quarta-feira, 04/08/2021
12:57:14
informe o texto

Notícias / Política

22/06/2021 às 17:15

Governador ironiza denúncia de Emanuel e defende investigação da Corregedoria

Em nota, o democrata ressalta a independência da unidade policial

Kamila Arruda

Governador ironiza denúncia de Emanuel e defende investigação da Corregedoria

Foto: Governo de MT

O governador Mauro Mendes (DEM) defende que a Corregedoria Geral da Polícia Civil apure a denúncia feita pelo prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) sobre uso da Delegacia Especializada de Combate à Corrupção (Deccor) para perseguição política.

O democrata ainda alfineta o chefe do Executivo Municipal, e ressalta a independência da unidade policial. “O governador Mauro Mendes espera que a Corregedoria Geral da Polícia Civil analise a denúncia o mais breve possível, com a independência que sempre pautou as ações da instituição”, disse nota encaminhada pelo Governo do Estado.

Leia também - Emanuel denuncia governador por usar delegacia para prejudicar gestão municipal

Pinheiro protocolou nesta terça-feira (22) uma representação solicitando apuração do uso político da Deccor por parte do governador. Isto porque o município foi alvo de uma série de operações coordenadas pela delegacia.

A primeira foi deflagrada em junho do ano passado e culminou no afastamento do então secretário de Educação Alex Vieira. Trata-se da Operação Overlap, a qual investiga suspeita de lavagem de dinheiro promovida pela gestão da Educação na capital. Em setembro, uma nova fase da operação ainda derrubou o procurador-geral do município, Marcus Brito.

Já no mês de outubro, a Deccor deflagou a Operação Overpriced, que afastou o então secretário de Saúde Luiz Antônio Possas de Carvalho do cargo. Ele é suspeito de liderar esquema de aquisição de medicamentos (Ivermectina) pela modalidade de dispensa de licitação, a qual, em primeira análise, teria ocorrido em valores muito superiores ao praticado.

Em maio deste ano, uma nova secretaria foi alvo da Delegacia. Foi deflagrada a Operação Sinal Vermelho, que culminou no afastamento do secretário de Mobilidade Urbana da capital Antenor Figueiredo. Investigação aponta um prejuízo de, ao menos, R$ 500 mil aos cofres públicos por meio de um contrato de aquisição de semáforos inteligentes.

Por fim, a Deccor anda deflagou a segunda fase da Operação Overpriced, após detectar diversas irregularidades em procedimentos licitatórios envolvendo, ao menos, três empresas que forneceram medicamentos à Secretaria Municipal de Saúde, por meio de dispensa de licitação, durante o período da pandemia ocasionada pela covid-19.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet