Cuiabá, terça-feira, 18/06/2024
04:45:56
informe o texto

Notícias / Polícia

22/05/2024 às 11:28

NAS REDES SOCIAIS

Indiciadas por morte de bebê alegam não lembrar da batida na testa e que a ficha caiu com o atestado: 'Achávamos que era uma veia saltada'

Essa versão só veio à tona após a conclusão do inquérito policial

Eloany Nascimento

Indiciadas por morte de bebê alegam não lembrar da batida na testa e que a ficha caiu com o atestado: 'Achávamos que era uma veia saltada'

Foto: reprodução/ Arquivo Pessoal

As proprietárias do berçário Espaço Criança Feliz, alegaram que não lembravam da testa do bebê Vicente Camargo ter batido na quina de mármore e que a ficha só caiu quando saiu o atestado de óbito: “achávamos que a marca era uma veia saltada”. 

A alegação foi publicada nas redes sociais da creche particular no fim da noite desta terça-feira (21). Vicente Camargo morreu no dia 17 de abril. O óbito foi declarado no hospital Santa Rita, em Várzea Grande. O laudo apontou traumatismo craniano.

Conforme já noticiado pelo Leiagora, na tentativa de fazer uma massagem de reanimação no bebê, uma das proprietárias, ao se virar com ele no colo, bateu a cabeça dele na quina de uma mesa de mármore, provocando a lesão. 

Leia também - Proprietárias de creche devem consultar legista particular para analisar laudo da morte de bebê: 'Muita coisa pra se esclarecer’

O delegado da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), confirmou que os laudos são compatíveis com essa informação.

Essa versão só veio à tona após a conclusão do inquérito policial que indiciou as investigadas por homicídio culposo (quando não há intenção de matar).

Leia também - Mãe de bebê morto em creche não acredita em homicídio culposo ‘Justiça não foi feita’

Inicialmente, um dia após o óbito, a proprietária da creche concedeu uma entrevista ao Leiagora e relatou que a criança não estava bem durante a semana toda e negou que a morte tivesse ocorrido em virtude de um traumatismo craniano.  

Na época, a reportagem teve acesso ao boletim de ocorrência. Nele constava que funcionárias e proprietárias encontraram a vítima desacordada e acreditavam que provavelmente tinha se engasgado com o leite. A batida na quina não foi mencionada.

Nesta terça (21), elas explicaram nas redes sociais que nas primeiras horas após a morte não tinham noção e não lembravam da batida, mas achavam que ele estava engasgado.

“Enquanto estávamos no hospital ainda achávamos que a marca na testa do bebê era uma veia saltada pois era fininha. Quando saiu o atestado de óbito falando em traumatismo que caiu a ficha que no momento do desespero a testinha do bebê bateu”, diz trecho da publicação.

“Nas primeiras horas não tínhamos noção, a mente apaga, foi conversando com a monitora que ela me falou o que aconteceu, eu não lembrava de nada”, completou.

Veja os prints da publicação:


 
Clique aqui, entre na comunidade de WhatsApp do Leiagora e receba notícias em tempo real.

Siga-nos no Twitter e acompanhe as notícias em primeira mão.


 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet