Cuiabá, segunda-feira, 17/02/2020
02:05:39
informe o texto

Notícias / Judiciário

14/02/2020 às 10:34

STF começa julgamento de ação que questiona lei que criou o Gaeco

Promotor do MPE diz que muita coisa mudou em 17 anos

Leiagora

O Supremo Tribunal Federal (STF) começou a julgar, na manhã de quinta-feira (13), a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN) 2838, que questiona a legalidade da lei que criou o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco). 

A ação, proposta pelo Partido Social Liberal (PSL) em 2003, está sob relatoria do ministro Alexandre de Moraes.

O representante do Ministério Público de Mato Grosso foi o promotor de Justiça Wesley Sanches Lacerda, que também é assessor do corregedor-geral. Na condição de "amigo da corte", ele fez a sustentação oral no plenário do STF, em Brasília.

Ele destacou que, desde que a ação foi proposta, há 17 anos, muitas coisas mudaram, especialmente o pensamento jurídico-constitucional. Ele também explicou que algumas das questões levantadas na época já teriam sido solucionadas com legislações posteriores. A exemplo, uma lei complementar de 2010, a 416, que é a atual Lei Orgânica do Ministério Público de Mato Grosso.

O promotor também destacou que já era prevista a possibilidade de requisitar serviços temporários de servidores civis e militares, o que também consta na Lei 119/2002, que instituiu o Gaeco. 

Outro ponto questionado na época era a possibilidade do Ministério Público promover investigações. No entanto, segundo o promotor, o próprio STF já teria reconhecido a competência do órgão para investigações penais, desde que respeitados os direitos e garantias que assistem os indiciado. 

Depois da sustentação oral do promotor, porém, o julgamento foi suspenso. A Adin volta para a pauta da próxima semana.
 
Com assessoria

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet