Cuiabá, quinta-feira, 18/07/2024
13:18:14
informe o texto

Notícias / Polícia

11/09/2020 às 11:30

Adolescente morta por namorado tinha medida protetiva contra autor do crime

Após matar a namorada, suspeito enviou mensagem para mãe e prima da garota confessando o assassinato

Metropoles

Adolescente morta por namorado tinha medida protetiva contra autor do crime

Foto: Arquivo Pessoal

Oautor confesso do assassinato de Karolina de Souza Silva, de 17 anos, tem quatro processos por ato infracional e uma guia de medida socioeducativa por ato análogo à lesão corporal no âmbito de violência doméstica. As informações são do iG.

O episódio que motivou a vítima a pedir medidas protetivas ocorreu em 14 de agosto de 2018, quando o namorado ainda era menor de idade, segundo o Tribunal de Justiça do Espírito Santo, que converteu a prisão em flagrante pela morte em preventiva, nessa quinta-feira (10/9).

De acordo com os autos do processo, policiais militares foram acionados por moradores que imobilizaram Gustavo após ele ter provocado um corte no pescoço de Karolina, acertando a veia jugular. Assim que os policiais chegaram, Gustavo confessou o crime e indicou onde estava o corpo da vítima.

A equipe da perícia técnica da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa constatou que foi utilizada uma arma branca do tipo “serrinha de alumínio” e uma espátula. Ambas foram apreendidas.

Na delegacia, Gustavo relatou que mantinha um relacionamento com a garota e havia marcado de encontrá-la na noite de quarta-feira (9/9). Ele afirmou que os dois consumiram bebidas alcoólicas, tiveram relações sexuais e conversaram sobre o namoro. Em seguida, Gustavo foi conferir as mensagens registradas no celular da garota e afirma que ela também olhou o celular dele. O rapaz assumiu ter sido “sempre muito possessivo” com a vítima e que ficou com “raiva” ao ver que Karolina conversava com outros homens.

Antes de matar a garota, Gustavo contou ter desferido um “mata leão” que a fez desmaiar. Explicou também ter pego as armas do crime enquanto a vítima estava desacordada. Com Karolina já morta, o autor enviou uma mensagem para a mãe e para a prima da menina relatando o que havia feito.

Além da agressão sofrida em agosto de 2018, que resultou em internação por medida socioeducativa para Gustavo, a vítima também denunciou ter sido alvo de ameaças de morte “diversas vezes” em áudios enviados por ele em fevereiro de 2019, após uma audiência do caso de violência doméstica.
Clique aqui, entre na comunidade de WhatsApp do Leiagora e receba notícias em tempo real.

Siga-nos no Twitter e acompanhe as notícias em primeira mão.


 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet