Cuiabá, domingo, 17/01/2021
05:48:07
informe o texto

Notícias / Política

10/01/2021 às 15:00

Medeiros diz que negocia saída da Rota do Oeste na BR-163 e empresa rebate

Isso por conta de uma possível morosidade da empresa em cumprir com as cláusulas do contrato

Da Redação - Eduarda Fernandes / Reportagem local - Camilla Zeni

Medeiros diz que negocia saída da Rota do Oeste na BR-163 e empresa rebate

Foto: Camilla Zeni / Leiagora

O deputado federal José Medeiros (Podemos) afirmou que o governo federal está negociando a retirada da Concessionária Rota do Oeste do comando das obras da BR-163 em Mato Grosso. Isso por conta de uma possível morosidade da empresa em cumprir com as cláusulas do contrato, pois mesmo com a cobrança de pedágio, a duplicação da rodovia não é entregue.

Em entrevista à imprensa concedida na manhã desta sexta-feira (8), ao ser questionado sobre qual decisão o ministro de Infraestrutura Tarcísio Freitas irá tomar, Medeiros respondeu: “Tira a Odebrecht e duplica”. A Rota do Oeste faz parte da Odebrecht.

Leia também - Rota cobra pedágio mesmo sem duplicação e pode perder contrato; entenda

Na sequência, o parlamentar comparou a questão da BR-163 com um inquilino inadimplente. “Se eu judicializo é tudo o que o ‘nó cego’ quer, ficar brigando na Justiça e [permanece] dentro da sua casa. Então o governo está negociando, está nas vias de vender para outra para começar e a gente tem a expectativa de que nesse semestre e isso aí já possa ser resolvido”, informou.

Outro lado
Ao Leiagora, a concessionária explica que a situação não é bem como o parlamentar narra e afirma que partiu da própria empresa propostas de soluções para resolver o impasse da rodovia.

Por meio de nota, a Rota do Oeste informou o seguinte: 

A Concessionária Rota do Oeste segue em tratativas avançadas com o Governo Federal, por meio da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT),  para a retomada do contrato de concessão da BR-163 e consequentemente das obras de duplicação que ainda não foram executadas. A empresa tem total interesse que ocorra rapidamente um desfecho positivo.
 
A solução apresentada pela Rota do Oeste possui premissas importantes como a manutenção do patamar tarifário nos pedágios, a realização de 100% das obras que constam no contrato original e não foram executadas, o cumprimento das penalidades aplicadas à Concessionária pelo atraso no cronograma e a troca do controle acionário da empresa. Diante disso, paralelamente a Rota do Oeste negocia o repasse do controle da empresa a um outro grupo econômico.
 
Importante ressaltar que a Concessionária segue cumprindo o contrato normalmente em relação à prestação de serviços operacionais (guinchos, socorro médico e inspeção da rodovia) e manutenção do pavimento existente. A interrupção nas obras de duplicação se deu pela não concessão do financiamento público prometido à época do leilão, agravado pelos impactos das sucessivas crises econômicas e políticas que assolaram o país.
 
 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet