Cuiabá, sexta-feira, 05/03/2021
17:57:02
informe o texto

Notícias / Política

21/02/2021 às 14:00

Veja como bancada federal de MT se posiciona sobre vacina contra a covid-19

Leiagora fez um levantamento com senadores e deputados federais mato-grossenses para saber se tomarão o imunizante

Eduarda Fernandes

Veja como bancada federal de MT se posiciona sobre vacina contra a covid-19

Foto: Luiz Alves / Prefeitura de Cuiabá

Há um mês, teve início a vacinação contra a covid-19 em Mato Grosso. Em comemoração à data, o Leiagora fez um levantamento com senadores e deputados federais mato-grossenses para saber se tomarão o imunizante quando suas faixas etárias forem contempladas em etapa correspondente, e qual o posicionamento em relação à vacinação da população.

Com exceção do deputado federal Juarez Costa (MDB), que não atendeu as chamadas e mensagens da reportagem, todos os parlamentares pretendem se imunizar.

Médico, Dr. Leonardo (Solidariedade) ressalta que tem trabalhado para conscientizar a população sobre o assunto e garante que tomará qualquer uma das vacinas que tenha aprovação dos órgãos reguladores. “Quero estar protegido para voltar a uma vida cotidiana mais próxima do normal. Eu vou tomar a vacina, todas as pessoas que eu amo e não possuem nenhuma contra indicação também, e recomendo a todos que tomem. Essas vacinas foram produzidas em tempo recorde graças ao alto investimento de recurso e dedicação do mundo inteiro a isso”, destaca.

Dr. Leonardo reforça que há muitos anos esse tipo de vírus, o sars-cov, vem sendo pesquisado, motivo pelo qual crê na segurança das vacinas. O parlamentar não concorda com obrigar as pessoas a se vacinar e defende o caminho da conscientização.

Para José Medeiros (Podemos), risco de efeito colateral há em qualquer remédio e isso não o impedirá de se imunizar. “A gente corre o risco com qualquer remédio, vai de organismo para organismo. Se olhar até a bula da aspirina vai ver que tem coisa lá que pode levar à morte”, comenta.

A professora Rosa Neide (PT) revela que aguarda ansiosa pelo momento e não vê outra saída da pandemia a não ser a vacinação. “Mato Grosso pode ter agora a segunda onda e a ciência já estão identificando a terceira onda, por exemplo, em Manaus. Se não houver vacina, nós teremos esse ano inteiro da mesma forma e vamos chegar a 500 mil pessoas mortas, uma tragédia já anunciada. Temos que vacinar”, alerta. Ela é favorável a obrigatoriedade da vacina.

Carlos Bezerra (MDB), por sua vez, acredita que a vacinação deve ser obrigatória. Neri Geller (PP) defende que todos se vacinem “porque quanto mais pessoas se vacinarem, melhor”.

Nelson Barbudo (PSL) se posicionou favorável à vacinação da população, exatamente pela aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O deputado apenas reforça que não concordaria caso a vacinação se tornasse obrigatória no país.

Emanuelzinho (PTB) não respondeu sobre a obrigatoriedade.
 
Senadores
O senador Carlos Fávaro (PSD) é a favor da vacinação, mas não da obrigatoriedade. “Tomar é a certeza da volta ao normal. Acho que a gente tem que respeitar a liberdade de cada um, mas é consciência. Tomar a vacina é questão de solidariedade, de respeito ao próximo”.

Do mesmo modo, se posiciona Wellington Fagundes (PR), que entende que a imunização é o caminho. “Todos devem tomar, mas não deve ser obrigatório”. Para Jayme Campos (DEM), o ideal todo mundo tomar.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet