Cuiabá, terça-feira, 13/04/2021
13:17:22
informe o texto

Notícias / Judiciário

01/04/2021 às 09:10

Ministério Público de Contas quer apuração sobre atraso na vacinação em MT

Órgão de controle observou que apenas 50% das vacinas recebidas foram aplicadas pelos municípios e quer saber por quê

Leiagora

Ministério Público de Contas quer apuração sobre atraso na vacinação em MT

O procurador-geral do Ministério Público de Contas, Alisson Alenca

O procurador-geral do Ministério Público de Contas de Mato Grosso (MPC), Alisson Alencar, pediu apuração e a avaliação dos motivos para o atraso na aplicação de vacinas contra a covid-19 em Mato Grosso. Segundo o painel "Distribuição de Vacinas contra a Covid-19", apenas 50% das doses enviadas foram aplicadas.

Em documento protocolado para o presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro Guilherme Maluf, nessa quarta-feira (31), o procurador aponta uma incompatibilidade entre as doses distribuídas e as aplicadas pelos municípios mato-grossenses. 

Ele destaca que Mato Grosso possui o 7º menor índice de aplicação de doses, e que, das 447 mil unidades distribuídas ao estado, apenas 224 mil foram aplicadas até 29 de março, segundo o painel "Distribuição de Vacinas contra a Covid-19", do Ministério da Saúde. Em Cuiabá, por exemplo, apenas 40% das doses recebidas foram aplicadas.

O MPC propõe, então, a descentralização dos locais de aplicação da vacina, e aumento no número de postos de atendimento para reduzir o tempo de espera e evitar aglomerações, bem como a avaliação da implantação de sistema de ‘drive-thru’ em vários pontos dos municípios. Outra proposta é a realização de mutirões aos finais de semana. "Cada segundo é essencial. A vida não pode esperar”, reforçou Alisson Alencar.

O Ministério Público de Contas ainda solicita aos gestores que avaliem a possibilidade de realização de convênios com a iniciativa privada para otimizar o processo de vacinação nos municípios.
 
Logística

No documento, o MPC pede, ainda, um levantamento sobre os meios de transporte utilizados e o tempo médio necessário para fazer a logística das vacinas após a disponibilização para o estado. De acordo com o plano estadual de operacionalização, o tempo entre o recebimento da vacina, a distribuição e retirada pelos municípios nas redes regionais pode chegar a 8 dias. 

Além de verificar se esse tempo está sendo suficiente, o MPC quer uma a avaliação da possibilidade de melhoria, considerando que no estado de Mato Grosso do Sul, por exemplo, a remessa de distribuição de vacina aos municípios tem durado apenas 12 horas.

O documento vai ser analisado pelo conselheiro Guilherme Maluf. Confira a íntegra do requerimento aqui.

 
Com informações da assessoria

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet