Cuiabá, quarta-feira, 16/06/2021
11:02:45
informe o texto

Notícias / Agro e Economia

11/05/2021 às 10:55

Justiça autoriza produção de provas antecipada contra Sementes Adriana

Alexandre Augustin alega prejuízo superior a R$ 2 milhões em sua plantação de algodão causados pela aplicação de defensivos na propriedade vizinha

Leiagora

Justiça autoriza produção de provas antecipada contra Sementes Adriana

Plantação de algodão na Fazenda Santa Alice

Foto: Assessoria

O produtor rural Alexandre Augustin, proprietário da Fazenda Santa Alice, conseguiu na Vara Única de Alto Garças, a autorização para a realização de produção de prova pericial antecipada contra o grupo Sementes Adriana, localizada na região de Alto Garças.

O pedido deferido pela juíza, Angela Maria Janczeski Góes, trata-se de ação cautelar com pedido liminar para apurar danos causados na plantação de algodão de Augustin, pelo herbicida 2,4-D, possivelmente aplicado na propriedade vizinha.

Na ação, Augustin pede apuração para que seja confirmada suspeita de que o referido defensivo atingiu sua lavoura, por meio da ocorrência da fitotoxidade (reação tóxica que um herbicida provoca nas plantas e que prejudica o seu crescimento de forma drástica), comprometendo significativamente o desenvolvimento e crescimento da plantação, causando prejuízo de aproximadamente R$ 2 milhões.

“No ano passado ocorreu o mesmo problema em outra área de propriedade próxima a minha propriedade. Na ocasião, foi comprovado que os danos causados pela aplicação de defensivos 2.4-D eram oriundos da fazenda vizinha, e que invadiram aquela propriedade, em decorrência do vento e horário que eram aplicados. E mesmo após registro de denúncia perante o INDEA, não foram tomadas as providências necessárias”, Explica Augustin.

Em sua decisão a juíza determinou a realização imediata da coleta de amostra de todas as culturas cultivadas na Fazenda vizinha à propriedade de Augustin, a qual será submetida à perícia. “Advirto que a coleta do material deverá ser realizada por oficial de justiça e assistente técnico indicado pelos autores e determino que seja realizada a medição das áreas de plantio afetadas na propriedade do autor, bem como coletado material afetado na propriedade”, diz trecho da decisão.

Entenda o caso

A propriedade de Alexandre Augustin, de três mil hectares, localizada na região de Alto Garças (distante 361 km de Cuiabá), cultiva algodão e aproximadamente 400 hectares de sua plantação foi afetada pela aplicação do herbicida 2,4-D, possivelmente da propriedade vizinha, que produz soja, e pertence ao grupo Sementes Adriana. Augustin estima um prejuízo superior a R$ 2 milhões de reais e pretende ser indenizado pelos danos.

 
Da assessoria

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet