Cuiabá, domingo, 07/06/2020
06:47:08
informe o texto

Notícias / Música

19/05/2020 às 13:07

Pacha Ana é a mato-grossense selecionada em edital do Itaú Cultural

A chamada para músicos recebeu mais de 12 mil inscrições de todo o país, contemplando nomes como Zélia Duncan, Luedji Luna, Jards Macalé e Odair José

Maria Clara Cabral

A rapper e poetisa Pacha Ana figura como a única mato-grossense entre os selecionados no edital nacional ‘Arte como respiro’, do Itaú Cultural. O projeto premia e divulga artistas de diferentes gerações, cujos com trabalhos se destacam em todo o Brasil.

Nas categorias Autoral e Podcast, a chamada recebeu mais de 12 mil inscrições de todo o país. Destes, foram selecionados 200 trabalhos dos 26 estados e Distrito Federal, que serão apresentados nas plataformas da instituição ao longo dos próximos meses.

“O edital pedia três obras para avaliar os trabalhos e remunerar artistas nesse período de quarentena. Enviei três clipes meus 'Canto para Oyá e Meu fechamento é comigo mesma', 'Proteção de Oyá' e 'Omo Oyá' 
e fui a única do estado selecionada”, conta Pacha Ana.

A mato-grossense explica que os selecionados apresentam seus projetos em lives na plataforma do Itaú Cultural. “Ou na plataforma que eles escolherem, pode ser que eles escolham que eu faça as live no meu Instagram”, complementa.

Representatividade

“Fico muito feliz não só pelo dinheiro, que está fazendo muita falta nesse momento de pandemia, mas pela oportunidade”, comemora Pacha Ana, que teve eventos e contratos cancelados em momento de distanciamento social para conter o avanço da Covid-19.

“Várias pessoas que eu admiro foram aprovadas junto comigo. GF Gahiji, artista independente como eu, Samora N’zinga, independente também, mas com um trabalho já conhecido,
Fióte, que é irmão do Emicida, artistas como Zélia Duncan, Luedji Luna. E nós, eu e meu estado”, destaca.

‘Arte como respiro: múltiplos editais de emergência’ teve como proposta acolher e apoiar os artistas sujeitos a atuar isoladamente e sem remuneração durante o recolhimento. Da região Centro-Oeste, além de Pacha, seis selecionados são do Distrito Federal, três de Goiás, dois do Mato Grosso do Sul. 

Conforme o gerente do Núcleo de Música, Edson Natale, os selecionados representam gêneros musicais e sotaques variados, destacando a diversidade e força da produção musical brasileira contemporânea.

“Foram contemplados muitos artistas jovens, que estão se destacando nas suas cenas locais e artistas que têm suas trajetórias mais conhecidas. O objetivo de mergulhar na música em várias possibilidades foi atingido, tanto nas questões históricas como nas artísticas”, declarou à imprensa.


Pacha Ana

Ana Gabriela Santana Corrêa é médica veterinária, escritora, poetisa, cantora e compositora nascida em Rondonópolis, com atual morada em Cuiabá.

Ela é tricampeã estadual de SLAM (batalha de poesia falada) e consequentemente representante de Mato Grosso no campeonato nacional SLAM BR por
três vezes consecutivas.
 
Em 2017, foi contemplada pelo Edital Municipal da Cultura, que possibilitou a gravação do seu disco Omo Oyá (do Yorubá, Filha de Iansã), 2018, que é também o primeiro álbum de rap feminino do estado.

Nesta quinta-feira (21), Pacha Ana se apresenta em show transmitido pelas plataformas da Oyá Porduções, através Projeto Volume, que reúne diversas artistas do Estado em circuito musical

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Preencha seu email abaixo para receber atualizações diárias de nossos artigos
 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet