Cuiabá, quarta-feira, 04/08/2021
21:49:48
informe o texto

Notícias / Judiciário

16/06/2021 às 14:31

MPE vai investigar padre que fez declarações homofóbicas durante missa

No vídeo que circulou nesta quarta-feira (16), o padre Paulo Antônio Müller chama o repórter da Rede Globo Erick Rianelli e o marido dele de 'veados'

Leiagora

MPE vai investigar padre que fez declarações homofóbicas durante missa

Foto: Reprodução

O Ministério Público de Mato Grosso (MPMT) irá investigar o padre que fez declarações homofóbicas durante uma missa, no município de Tapurah (451 Km distante de Cuiabá), e colher os subsídios necessários para adoção de medida judicial.

Em vídeo que circulou nesta quarta-feira (16), o padre Paulo Antônio Müller chama o repórter da Rede Globo Erick Rianelli e o marido de “veados”. O jornalista se declarou ao marido durante um link ao vivo, no telejornal Bom Dia RJ, apresentado no Dia dos Namorados (Veja o vídeo abaixo). 

O padre classificou a declaração como “ridícula” e completou dizendo: “pegue a bíblia e olhe o livro do Gênesis: Deus criou o homem e a mulher, concebeu a família para os dois se unirem. Esse é o casamento. Não chamem as relações dos veados, das lésbicas de casamento, por favor. Isso é uma falta de respeito para com Deus, isso é sacrilégio é blasfêmia”. A celebração religiosa viralizou na internet após ser transmitida pelo Facebook. 


Em nota publicada no site do órgão, o Ministério Público Estadual, por meio do Centro de Apoio Operacional de Defesa dos Direitos Humanos e Diversidades, informou que as declarações efetuadas pelo padre extrapolaram a liberdade religiosa e que podem até mesmo resultar em medidas extrajudiciais, de ação civil pública por dano moral coletivo causado à sociedade, bem como ação penal, por eventual crime cometido.

Confira a nota na íntegra:

"Em relação às declarações homofóbicas feitas durante uma missa por um padre da Igreja Católica no município de Tapurah (451 Km de Cuiabá), o Ministério Público do Estado de Mato Grosso informou que instaurou procedimento investigatório para apurar os fatos e colher os subsídios necessários para adoção de medida judicial cabível.

O Ministério Público Estadual, por meio do Centro de Apoio Operacional de Defesa dos Direitos Humanos e Diversidades, repudia qualquer tipo de discurso de ódio. Reitera que as declarações efetuadas pelo padre extrapolaram a liberdade religiosa e que podem até mesmo resultar na propositura de medidas extrajudiciais, de ação civil pública por dano moral coletivo causado à sociedade, bem como ação penal, por eventual crime cometido".

Vídeo Relacionado

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet