Cuiabá, terça-feira, 25/06/2024
04:27:45
informe o texto

Notícias / Política

20/09/2023 às 18:40

PL 4.266/2023

Pacote antifeminicídio é aprovado na Comissão de Direitos Humanos do Senado

Proposta é de autoria da senadora mato-grossense Margareth Buzetti e agora passará pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ)

Leiagora

Pacote antifeminicídio é aprovado na Comissão de Direitos Humanos do Senado

Foto: Agência Senado

A Comissão de Direitos Humanos do Senado (CDH) aprovou, nesta quarta-feira (20), o PL 4.266/2023 que cria o pacote antifeminicídio. A proposta, da senadora Margareth Buzetti (PSD-MT), altera cinco leis para que sejam agravados crimes contra a mulher pelo simples fato de ser mulher.

O PL foi relatado pela senadora Damares Alves (Republicanos-DF) e agora será votado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

“É um projeto que eu não gostaria de precisar apresentar. A gente sabe que o limite da violência doméstica é o feminicídio. Mas o que antecede o feminicídio é que devemos punir com mais severidade. Espero que realmente alguma coisa seja feita, porque mulheres estão morrendo”, defendeu Buzetti logo após a aprovação na comissão. 

Veja o que muda com o projeto apresentado:

- Aumento de pena mínima e máxima: crime de feminicídio fica com pena mínima de 20 anos e máxima de 40 anos (conforme artigo 75 do Código Penal); 

- Crime autônomo: feminicídio hoje no Brasil não é crime autônomo, mas uma qualificadora do homicídio. Projeto muda isso;

- Lesão corporal: quando for violência doméstica a pena será de 2 a 5 anos de prisão. Hoje é de três meses a três anos;
 
- Ameaça: se for praticada contra a mulher (em casos de violência doméstica) a pena é dobrada;
 
- Vias de fato (agressão) :  se contra mulher, a pena será de 2 a 5 anos de prisão. Hoje é de 15 dias a 3 meses (e não há pena específica para caso de violência doméstica);
 
- Progressão de Regime: preso por feminicídio precisará cumprir 70% da pena antes de progredir (ir para um semi-aberto, por exemplo); 

- Tornozeleira: projeto prevê colocação de tornozeleira eletrônica em quem descumprir Medida Protetiva;
 
- Medidas protetivas: hoje se um homem descumprir a medida protetiva a pena é de 3 meses a 2 anos. Projeto aumenta para prisão de 2 a cinco anos e ainda aplica multa;

- Perda de benefícios: fica vedado o direito à visita íntima, por exemplo, e restringe o contato daquele detento com o lado de fora do presídio.

 
Assessoria
Clique aqui, entre na comunidade de WhatsApp do Leiagora e receba notícias em tempo real.

Siga-nos no Twitter e acompanhe as notícias em primeira mão.


 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet