Cuiabá, terça-feira, 28/05/2024
19:22:53
informe o texto

Notícias / Política

22/03/2024 às 08:33

INSEGURANÇA JURÍDICA

Jayme critica STF sobre julgamento que pode descriminalizar maconha

Senador afirmou que legislação e punibilidade em torno do entorpecente é de competência do Congresso Nacional

Amanda Garcia e Jardel P. Arruda

Jayme critica STF sobre julgamento que pode descriminalizar maconha

Foto: Foto: Câmara Federal

O senador por Mato Grosso, Jayme Campos (União Brasil), criticou o julgamento que pode descriminalizar o porte de maconha para usuários e afirmou não ser de competência do Supremo Tribunal Federal (STF) ‘discutir’ sobre a legislação e punibilidade do entorpecente. Conforme o representante mato-grossense, a pauta deve ser discutida, preferencialmente, no Congresso Nacional.

“Quem legisla sobre isso é o Congresso Nacional, entretanto, criou-se uma insegurança jurídica para que a sociedade tenha essa preocupação. Nós estamos buscando uma PEC que possa dar garantia a tudo que é possível no que diz respeito ao porte de drogas. Ele já está inserido dentro do código do processo criminal, ocorre que o Supremo Tribunal Federal está fazendo, lamentavelmente, um papel que não é de sua competência”, disse nesta quinta-feira (21).

Na ocasião, Jayme ainda defendeu a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que tem como primeiro signatário o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD) e criminaliza a posse e o porte de drogas independentemente da quantidade.

A PEC 45/2023 está em análise na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal.

“Como eu vou saber se a pessoa é usuária ou traficante? Eu, particularmente, sou contra qualquer intervenção do STF, eu acho que essa matéria deve ser muito discutida no Congresso. Eu defendo a PEC do senador Rodrigo Pacheco que veda qualquer possibilidade do STF de criar uma regra diferenciada sobre a quantidade de droga que cada cidadão esteja portando. Agora, quando se trata do usuário, essa é uma demanda que deve ser discutida na saúde pública”, disparou.

Conforme o senador, a expectativa é de que a PEC seja aprovada na Câmara Federal até o dia 15 de abril.

A um voto da liberação

Resta apenas um voto para o STF definir se o porte de maconha para consumo próprio é crime ou não. Até o momento, o julgamento conta com cinco votos a favor da descriminalização e três contrários. No entanto, um pedido de vista do ministro Dias Toffoli suspendeu a continuidade da votação. Ainda não há data definida para a conclusão da análise do processo.

A matéria tem repercussão geral e deve unificar as decisões em todas as instâncias da Justiça, desde o contexto de cada ocorrência até o entendimento do policial, do Ministério Público ou do juiz que irá acompanhar cada caso. 
Clique aqui, entre na comunidade de WhatsApp do Leiagora e receba notícias em tempo real.

Siga-nos no Twitter e acompanhe as notícias em primeira mão.


 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet