Cuiabá, sábado, 25/05/2024
11:21:22
informe o texto

Notícias / Política

11/04/2024 às 12:08

ORDENS DO CAPITÃO

Presidente do PL admite que voto pela soltura de Brazão pode prejudicar Abílio na eleição para prefeito

O liberal cita que o congressista, assim como os demais parlamentares da agremiação em Brasília, seguiram a linha ideológica do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), mas frisa que ele, por ser pré-candidato a prefeito de Cuiabá, não ficará isento do jul

Paulo Henrique Fanaia

Presidente do PL admite que voto pela soltura de Brazão pode prejudicar Abílio na eleição para prefeito

Foto: Paulo Henrique Fanaia / Leiagora

O presidente do Partido Liberal (PL) em Mato Grosso, Ananias Filho, acredita que o posicionamento do deputado federal Abílio Junior (PL), que defendeu a soltura de Chiquinho Brazão (sem partido – RJ) durante votação na Câmara Federal, irá refletir nas eleições deste ano.
 

O liberal cita que o congressista, assim como os demais parlamentares da agremiação em Brasília, seguiram a linha ideológica do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), mas frisa que ele, por ser pré-candidato a prefeito de Cuiabá, não ficará isento do julgamento popular nas urnas em outubro.
 
“Nós [PL] votamos e vai ter que ser submetido ao julgamento da população. Foi uma discussão técnica e o pessoal de Mato Grosso votou pelo ‘não’. Isso é claramente uma discussão ideológica. Nossos parlamentares seguem a linha ideológica do Bolsonaro e não vão deixar de acolher os pensamentos deles. Discuti com os parlamentares antes da votação e eles discutiram que iam acompanhar a favor da bancada”, disse Ananias em entrevista a Rádio Cultura nesta quinta-feira (11).
 
A Câmara dos Deputados manteve, por 277 votos favoráveis, a prisão em flagrante e sem fiança do deputado Chiquinho Brazão. Houve ainda 129 votos contra a prisão e 28 abstenções.

 
O Plenário acompanhou parecer da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ), de autoria do deputado Darci de Matos (PSD-SC), que recomenda a manutenção da prisão preventiva por crime flagrante e inafiançável de obstrução de Justiça com o envolvimento de organização criminosa.
 
Dos oito parlamentares de Mato Grosso, cinco se posicionaram pela soltura do congressista carioca. Além de Abílio, também votaram contra a prisão Amália Barros, Coronel Fernanda, Jose Medeiros, todos do PL, e ainda o coronel Assis (União).

De acordo com a Constituição Federal, quando um parlamentar é preso, o fato deve ser comunicado à respectiva Casa Legislativa para que esta se manifeste sobre a manutenção ou revogação da prisão.
 
Os deputados que foram a favor de soltar Brazão afirmam que não houve prisão em flagrante, o que permite que o colega parlamentar responda o crime em liberdade.
Clique aqui, entre na comunidade de WhatsApp do Leiagora e receba notícias em tempo real.

Siga-nos no Twitter e acompanhe as notícias em primeira mão.


 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet