Cuiabá, sexta-feira, 10/07/2020
20:23:25
informe o texto

Notícias / Geral

05/06/2020 às 08:30

Mauro mantém suspensão das aulas por mais 30 dias; Emanuel também descarta retorno

Retorno estava previsto para junho, mas foi adiado devido a pandemia do coronavírus

Camilla Zeni

Mauro mantém suspensão das aulas por mais 30 dias; Emanuel também descarta retorno

Foto: Meneguini/Secom

As aulas nas escolas públicas de Mato Grosso deverão permanecer suspensas por, pelo menos, mais 30 dias. O prazo foi concedido pelo governador Mauro Mendes (DEM), em novo decreto publicado no Diário Oficial do Estado nessa quinta-feira (4).

De acordo com a publicação, Mauro considera que em Mato Grosso ainda está vigente o estado de calamidade pública em razão da pandemia do novo coronavírus, e alega que é dever do Estado promover a proteção e recuperação da saúde da população.

Por isso, ele manteve a suspensão das atividades e deu 30 dias para o Gabinete de Situação apresentar um plano estratégico de retorno das atividades presenciais.

Leia também - Municípios vão decidir sobre o retorno das aulas nas escolas particulares

Para montar o cronograma e as ações de segurança, o governo possibilitou à Secretaria de Estado de Educação (Seduc) convidar representantes dos municípios e representantes da sociedade. 

Cabe destacar que, conforme o governador, no fim de março a secretária de Educação, Marioneide Kliemaschewsk, já se reuniu com autoridades municipais para debater o tema. Além disso, uma comissão na Assembleia Legislativa também acompanha o debate. Um cronograma de retorno ainda não foi definido.

Já no município de Cuiabá, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) também descartou o retorno das atividades para as próximas semanas.

Em entrevista à rádio Nativa FM, na tarde de quinta-feira (4), o gestor afirmou que o comitê que analisa os dados do novo coronavírus tem avaliado diariamente a situação de Cuiabá e que, dentro do planejamento, as atividades escolares seriam as últimas a retornar. 

Emanuel avaliou que as escolas são ambientes onde há grande concentração de pessoas e que as unidades não estão preparadas para a implantação de algumas medidas de segurança, como o distanciamento dos alunos.

"Não é por causa do aumento de casos, é por planejamento mesmo. Já estava previsto que para as aulas, por segurança, ainda continua indefinida a data do retorno. Eu não seria irresponsável de voltar num período como esse", disse.

Até o fim do mês passado, as expectativas da prefeitura de Cuiabá era que as aulas pudessem ser retomadas a partir do dia 14 de junho. Uma reunião com representantes das escolas e do Ministério Público definiria a data. Para isso, contudo, seria necessário garantir que medidas de segurança pudessem ser aplicadas nas escolas. 

Saiba também

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet