Cuiabá, sábado, 12/06/2021
19:40:22
informe o texto

Notícias / Judiciário

07/05/2021 às 15:24

Gilmar Fabris escapa de condenação criminal, mas eleitoral é irreversível

O STJ reconheceu prescrição criminal, porém a decisão do Tribunal Eleitoral é trânsito em julgado, ou seja, definitiva

Leiagora

Gilmar Fabris escapa de condenação criminal, mas eleitoral é irreversível

Foto: Marcos Lopes / ALMT

A decisão do Superior Tribunal de Justiça (STF) proferida nessa quinta-feira (6), em favor do ex-deputado estadual Gilmar Fabris, considerou a prescrição de uma condenação exclusivamente na esfera criminal. O ministro Ribeiro Dantas, relator de um recurso especial, concedeu um habeas corpus que, na prática, apenas impede o político de ser preso, porém não existe qualquer implicação eleitoral no que tange à última eleição.

De acordo com advogados consultados, a Justiça Criminal e Eleitoral são duas esferas distintas, com procedimentos específicos para cada uma. No caso da esfera eleitoral, o ex-deputado não foi sequer diplomado, tornando impossível a validação dos votos. Esta é a posição de advogados com larga experiência, como Gustavo Severo, Rodrigo Cyrineu e Carlos Henrique.

Leia também - Homem consegue liberdade após passar um ano preso injustamente

O registro da candidatura foi cassado ainda em 2018, quando Gilmar Fabris disputou a eleição sub judice, por meio de uma liminar. Ele foi declarado “ficha suja” em decorrência de uma condenação de seis anos e oito meses de prisão por desvios de recursos públicos da Assembleia Legislativa, quando era presidente. Apesar do habeas corpus concedido em razão da prescrição do crime, na Justiça há o quesito temporal, no qual, durante as eleições de 2018 e o julgamento eleitoral, o crime não estava prescrito.

“Com o registro da candidatura em trânsito em julgado, a chance do ex-deputado conseguir reverter o processo na Justiça Eleitoral é zero”, afirmou a assessoria jurídica do deputado eleito Professor Allan Kardec. Para Kardec, se trata muito mais de uma polêmica midiática, uma vez que o processo eleitoral está liquidado, “estamos tranquilos quanto a isso, pois não há qualquer mínima chance dele reverter a decisão da justiça eleitoral, que já concluiu sua decisão em trânsito em julgado”.

O deputado estadual Allan Kardec ocupa cadeira na Assembleia Legislativa como titular, obtendo 18.629 votos na última eleição, na qual Gilmar Fabris foi condenado e teve seu registro de candidatura cassado por ser considerado “ficha suja” pela Justiça Eleitoral.

 
Da assessoria de Allan Kardec

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet