Cuiabá, sábado, 24/02/2024
21:34:56
informe o texto

Notícias / Entrevista da Semana

31/12/2023 às 08:00

ENTREVISTA DA SEMANA

Numerólogo faz prognóstico para 2024, cita número regente e como isso irá interferir no nosso cotidiano

O especialista possui 27 anos de experiência em estudos esotéricos e já atendeu mais de 40 mil pessoas

Gabriella Arantes

Numerólogo faz prognóstico para 2024, cita número regente e como isso irá interferir no nosso cotidiano

Foto: Leiagora

Regido pelo número 8, o ano de 2024 é um dos mais esperados na numerologia. Está relacionado ao equilíbrio, à justiça e à honestidade. Traz também a energia do dinheiro, da prosperidade e da disciplina. 

Para chegar a esse número é preciso somar os algarismos: 2+0+2+4=8 e o total simboliza o guia numerológico do ano. Para a numerologia, vivemos ciclos de 9 anos, então o 8, antes de entrar na despedida do 9, é o momento de prosperar.

Em entrevista ao Leiagora, o numerólogo e advogado Marco Aurélio falou sobre o que esperar do próximo ano. O especialista possui 27 anos de experiência em estudos esotéricos e já atendeu mais de  40 mil pessoas. 

Durante o bate-papo, Marcos explicou o prognóstico para 2024 e como a numerologia interfere no nosso cotidiano. Falou ainda sobre mudanças climáticas e a “receita mágica” para melhorar o ano. 

Confira abaixo a entrevista na íntegra:

Leiagora - Antes de começarmos, me conta um pouco sobre a sua história. Porque e quando decidiu trabalhar com numerologia?

Marco Aurélio - Quando era adolescente escolhi fazer o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) para engenharia espacial. No ano que ia fazer o vestibular eu fui convocado para servir a base aérea, naquela época era na marra. Depois que saí, decidi que não queria mais fazer o ITA por uma série de fatores. Meu pai e minha mãe nunca impuseram uma profissão, mas isso eu decidi com 13 anos que queria fazer. Houve todo um investimento da família porque não é tão simples, tem um estudo, gastos e etc. Na cabeça deles o sonho tinha acabado, a minha mãe mais preocupada conversando com uma tia minha achou que eu tinha me perdido na vida. Mas na verdade quem está 'achado' com 18 anos de idade né? 

E aí ela foi atrás de uma numeróloga que a minha tia havia indicado. Na verdade, ela veio me chamar e minha mãe disse “meu filho, sua tia te chamou para você ir lá na numeróloga para te ajudar”. Eu falei que não ia porque não acreditava nessas coisas. Ela foi e meus irmãos também, menos eu.  Então ela foi e me trouxe aquele papel, eu li aquilo, mas entendi que a minha mãe estava me manipulando e ela guardou esse papel dentro de um livro que ficava na biblioteca da minha casa, sempre gostei muito de ler.

Uns meses depois eu achei aquele papel e comecei a olhar aquilo. Me intrigou, comecei a ler, mas jamais na minha cabeça que iria trabalhar com numerologia, até porque tive uma formação completamente convencional. Nesse período eu fiz faculdade de direito, dois anos e meio e arquitetura, trabalhei no mercado imobiliário por 25 anos. Depois vim de Campo Grande, estou aqui em Cuiabá há 27 anos, isso aconteceu lá inicialmente. E aqui em Cuiabá, eu já lia, usava a numerologia pra mim, usava quando iria tratar com alguma pessoa, eu era curioso. Eu ia tratar com um cliente e sabia o que estava acontecendo até mesmo na gestão dos imóveis. Eu conseguia saber se aquela pessoa ou empresa tinha condições de sanar o pagamento e tudo isso. Foi aí que aconteceu, fui “empurrado” por uma mulher que hoje é mãe de uma amiga minha, mas na época a gente não se conhecia. Ela “perturbou” a minha cabeça porque queria fazer a análise de uma empresa que ela ia montar e sabe quando você fala assim “vou ter que fazer para me livrar da pessoa” e ali foi o gatilho. Daí para frente foi uma loucura, eu tinha muito receio disso, como eu era advogado estava aqui bem conhecido. Eu fiquei muito preocupado porque começou a aparecer gente no meu escritório, me ligando, ninguém sabia nada, nem a minha secretária. Em poucos meses começou a aparecer repórter na minha porta para fazer reportagens. Imagina, eu dava entrevistas sobre direito de família, imagina, aparecer da noite para o dia falando de numerologia. 

A primeira reportagem que saiu eu impus uma condição, que não saísse a minha foto, que eu revisasse o texto para ver se não teve alteração do que eu falei e que não colasse o meu nome e sobrenome que era conhecido. Mas não resolveu nada, eu achei que fosse me prejudicar, não prejudicou e por muitos anos eu caminhei sendo diretor de uma construtora, advogado e numerólogo nas horas vagas. Foi em 2008 que eu decidi viver só para numerologia. Aí já foi um processo de muitos anos, eu já não estava satisfeito com a vida que eu estava. Mas se perguntar se era por causa de dinheiro, não é, eu ganhava três vezes mais do que ganho hoje. Eu não estava satisfeito e sentia que já havia cumprido a minha missão. Mas ainda não olhava para a numerologia, apesar de já ter uma bagagem muito grande de experiência porque eu atendia gente todos os dias e resolvi mergulhar no processo.  

Inicialmente na verdade eu vivi um processo sabático, queria ficar mais quieto, tranquilo. Abri mão de uma coisa, mudei para um apartamento pequeno para diminuir minha despesa e só iria trabalhar para pagar a conta, queria um tempo para a minha vida. E eu não parei em nenhum minuto, era algo que fazia nas horas vagas e a demanda desde aquela época tinha de manhã, tarde e noite. E se deixar sábado e domingo também, mas eu controlo. E nessa já são 27 anos que estou na prática da numerologia, não sei quantas pessoas eu já atendi, mas se colocar uma média de duas por dias já passou 40 mil pessoas atendidas. E 38 anos de estudo, porque eu comecei a ler sobre o assunto com 18 anos de idade quando eu estava ali na base aérea, assim que sai da base aérea eu comecei a ler por causa daquela história da minha mãe.  

Leiagora - Então você não fez curso, aprendeu sobre a numerologia sozinho?

Marco Aurélio - Não, isso não existia. Essas coisas de curso são recentes, nesse mundo de internet que você vai ver curso. Todo mundo que estudava na época, radiestesia, numerologia e astrologia, todos eram autodidatas. Então isso não existia, foi um processo meu e que estudo até hoje. Na numerologia não paramos de estudar e ler constantemente. Em qualquer país que vou já procuro comprar um livro para ver se tem alguma novidade sobre alguma coisa e assim foi. E aí nesses 27 anos já eu atendi muitas empresas, pessoas físicas e viajei muito pelo país atendendo e cumprindo agenda. Atualmente eu não viajo para isso e estou fazendo só trabalho online. Até porque em 2019 eu tive uma hospitalização e quase morri. Eu resolvi estabelecer um dia dia mais calmo porque mesmo quando eu parei de trabalhar e fiquei só com a numerologia eu não tinha sossego, era de manhã, tarde e à noite. Logo eu adoro o que faço, mas depois disso em 2019 resolvi dar uma diminuída. Continuo atendendo, mas em um ritmo mais tranquilo para poupar a minha saúde. 

Leiagora - Como funciona a numerologia e como ela interfere no cotidiano das pessoas?

Marco Aurélio - Há muita mistificação em cima da numerologia principalmente nos últimos anos com advento de internet. Então o que se fala sobre a numerologia: “vou fazer meu mapa porque eu quero saber meus numeros da sorte, vou fazer meu mapa porque quero o número que desbloqueia o meu sucesso ou eu vou mudar uma letra no meu nome porque aí eu tenho alegria, sucesso, realizações e felicidade”. Se isso fosse verdade eu já teria resolvido a minha vida há 30 anos, quando comecei a estudar. Isso é uma bobagem que se vende na internet, que acaba atendendo aquela ânsia das pessoas de uma solução fácil para a vida que não existe. Na verdade o trabalho de numerologia sério, ele envolve um processo de autoconhecimento muito profundo e que o que eu aviso as pessoas é que vindo na minha mesa você vai sair com mais problemas do que os que você chegou. Porque o trabalho não é superficial, é um processo bastante profundo, quem já fez e me conhece sabe disso. 

Então a numerologia traz um caminho, um entendimento da personalidade. São cálculos que a gente utiliza o nome completo e data de nascimento. Não tem essa necessidade da cidade, isso é só para astrologia. Então é o nome na certidão de nascimento, data do nascimento e disso a gente extrai. São mais de 30 cálculos no processo de orientação. Uma consulta que dura em média 50 minutos a uma hora, eu particularmente sempre gravei a consulta pela quantidade de informações. Eu sempre fiz a programação e entrego para a pessoa o áudio para ela poder lembrar aquilo. Isso dá um entendimento, a pessoa consegue entender a dinâmica da personalidade, da vida, ou onde estão os desafios dela, o que que ela pode  trabalhar e lapidar em si mesmo. 

A mesma coisa tem o mapa de uma empresa, de uma corporação. Uma empresa tem um mapa, uma corporação tem um mapa, uma instituição tem uma mapa, uma cidade tem um mapa, um país tem um mapa e a gente consegue entender tudo isso. Eu faço análise política e econômica há mais de 20 anos com a numerologia. Se você olhar nas minhas redes eu falo muito sobre questões econômicas e políticas que as pessoas não imaginam que com a numerologia que a gente consegue entender isso. Então, é dessa maneira. A numerologia não tem nada desse misticismo tolo que a gente vê aí, que o pessoal fala “ah, eu quero fazer minha numerologia karmica transcendental ou quero fazer a minha numerologia cabalística chinesa”. Não existe isso, existe numerologia pitagórica, sistema que utiliza no ocidente para o alfabeto grego romano. Só tem dois sistemas, o pitagórico e o dos caldeus, que a gente não utiliza no dia a dia no trabalho, apesar de eu ter conhecimento. O que funciona é pitagórica. Existem outros sistemas em outros alfabetos? Existem. No alfabeto chinês existe um sistema que eles estão operando agora e com a revolução de Mao Tsé-Tung eles baniram isso tudo imaginando que era uma mistificação. Existe sistema para quase todos, existe um sistema o hindu, mas o que serve para nós é o pitagórico e ponto. Tem uma tabelinha que a gente utiliza para fazer esses cálculos. 

Leiagora - Os signos do zodíaco têm relação com a numerologia? Como um interfere no outro? 

Marco Aurélio - Os signos não são astrologia, a astrologia é muito mais complexa. Se você pegar uma carta astral, feita por um bom profissional, a gente vai encontrar algumas correspondências com a numerologia.  Quando você faz um mapa astrológico existem algumas lacunas que não são preenchidas, que você preenche com a numerologia e vice-versa.  Então são complementares e ajudam você a entender. Na astrologia nós não falamos de signos, falamos de vários aspectos que existem conjunção. Então existe aspectos na astrologia que quando a gente encaixa com a numerologia muita coisa realmente acaba falando. São duas ferramentas diferentes que acabam falando a mesma linguagem. Na astrologia tem brechas que você não encontra, que você encontra bem claro na numerologia e vice-versa. Elas acabam se complementando, a astrologia e a numerologia. Não estamos falando de horóscopo, isso é uma bobagem.


Nós vamos ter ano que vem um número cármico, isso quer dizer que ele vai trazer para você aquilo que plantou ao longo de 7 anos no mínimo


Leiagora – Com relação ao ano de 2024, é possível traçar linhas de previsão? O que podemos esperar deste ano?

Marco Aurélio - Vamos explicar uma coisa, primeiro que a gente não pode usar a palavra previsão. A palavra previsão é perigosa porque quando você fala previsão, por exemplo, eu vou fazer o mapa de uma pessoa, vou fazer a previsão. Quando você fala previsão, para qualquer ser humano, nós acionamos um gatilho naquela pessoa onde ela vai dizer assim: “está previsto, então eu vou aguardar para ver o que vai se confirmar”. Qualquer ser humano vai ficar em um polo passivo, numa inércia, apenas observando e aguardando. Tudo bem que dentro de um mapa nós conseguimos extrair elementos e pontos que têm uma probabilidade muito alta de ocorrer como o mapa anual de uma pessoa.

No mapa anual global, que no caso é de 2024, que é um número que vai reger toda a humanidade, em maior e menor grau para cada pessoa, o número não interfere igual para todo mundo. Quando a gente vai olhar esse mapa universal, nós conseguimos extrair aspectos que estão potencializados com uma probabilidade muito alta, que é o que a gente chama de prognóstico.  Qual é a diferença disso? Prognóstico é um sentido mais amplo, ele inclui esses pontos, com grande probabilidade, mas o prognóstico está dizendo “olha é o seguinte: ano que vem você vai estar em tal ano dentro desse ano universal”. Porque 2024 é um 8, se você somar 2 + 2 + 4 vai dar 8, é uma soma simples. Então vou dizer assim “o ano estará bom para você fazer tal coisa, seria bom você dar um pouco mais de atenção nesse tópico da sua vida”. Porque a gente identifica onde está mais favorecido, mas isso é entregue a você e fica em total livre arbítrio. A pessoa pode chegar no final de 2024 e falar pra mim, e ai? E eu vou falar “o que você fez?” e a pessoa fala que não fez. Então a pessoa não soube explorar o ambiente, o que a gente chama de mapa é como um GPS.  O GPS dá o melhor caminho, mas nada impede de você buscar um caminho diferente e cair em um congestionamento ou entrar em um buraco, a escolha foi tua. Então ele dá os indicativos.

O que vai ser oportuno no ano que vem? 2024 é o número 8. A simbologia do 8 rege a matéria, as leis da matéria do universo, as leis da física quântica, as leis da física e todas as leis que fazem o universo funcionar. Por exemplo, uma das leis que funciona no universo é a lei da gravidade, isso é 8, que é uma energia matemática. O número 8 é racional, matemático, ele rege engenharia, administração e economia. O número 8 também rege a ordem, as estruturas, as regras, as leis universais, as leis humanas, as leis que visam organizar uma sociedade e as leis que regem o funcionamento da humanidade. Então quando a gente tem no dia a dia falando os títulos populares “cuidado com o que você planta porque colhe em dobro”, “quem planta vento colhe tempestade” e “não faça ao outro o que você não gostaria que fizesse com você”. Tudo isso são leis populares  que são da energia do número 8. Nós vamos ter ano que vem um número cármico, isso quer dizer que ano que vem ele vai trazer para você aquilo que plantou ao longo de 7 anos no mínimo. 

Então vai ter gente dizendo assim “olha esse ano foi maravilhoso pra mim, ganhei muito dinheiro, empreendi, realizei sonhos, passei no vestibular, a minha vida prosperou, eu tive realização”. Quem são essas pessoas? Aquelas pessoas que seguiram as leis do número 8, sendo justas, corretas, honestas, éticas e não passando por cima de ninguém. São pessoas que se rendem à rotina e à disciplina. Porque o 8 rege rotina, disciplina, persistência, retidão e honestidade. Então esse grupo de humanos no ano que vem eles podem chegar para você e falar: “foi um ano maravilhoso pra mim”. Agora quem são as pessoas que podem ter problemas em 2024, como o ano é um 8 e rege a justiça, vai ter muita gente com problema na justiça. Vai ter muita gente com problemas financeiros, tanto pessoa física quanto jurídica. Porque se você não foi organizado, se você não viveu de acordo com as suas posses, se não houve boa gestão, nós vamos ter pessoas, empresas, instituições e países com problemas muitos sérios financeiros, jurídicos e legais. O 8 é um número que rege penhora, prisão, protesto e  negativação. Por exemplo, agora a pouco o governo fez um plano para que as pessoas organizassem a sua vida financeira, fizesse uma renegociação, com descontos de juros para e etc. Houve uma chance de organização e o que estamos observando, parece que muitas pessoas, inclusive aqui em Mato Grosso,  tem um nível de endividamento muito alto. No Brasil, acho que nosso estado tem um dos níveis de maior endividamento da população. Isso é um péssimo sinal, sinaliza que essas pessoas vão continuar ou ter problemas piores ainda na parte financeira.

Não adianta culpar o universo, o Papa e o governo. É a gestão da pessoa, ela que não está sabendo gerir. Lógico que eu não estou falando daquela pessoa que está com uma condição financeira muito difícil  e que só resta ela no desespero se endividar. Mas tem muita gente que tem condições de manter a vida bem gerida, mas que não sabe viver de acordo com suas próprias posses e acaba fazendo besteira. Essas sim vão ter problemas muito sérios. 

Leiagora – Climatologistas têm feito alertas sobre mudanças climáticas severas nos próximos anos. A numerologia detecta algo neste sentido?

Marco Aurélio - A numerologia não detecta, mas ela explica muitas coisas. Existem dois números que regem o planeta Terra, o 8 e o número 4. O número 4 e 8 inclusive são múltiplos entre si. Então esses números regem a matéria, o planeta terra e o solo. Mas também regem a natureza e a física. 

Tratando-se de um ano 8, sabendo que a humanidade vem desrespeitando a natureza e  explorando de uma maneira totalmente descontrolada. Como a gente interpreta o mundo estando no 8 diante do que nós fomos construindo ao longo dos anos, haverá uma hora que a humanidade será chamada para um acerto de contas com o universo. 

Isso quer dizer que a humanidade vai aprender? A humanidade não aprende muita coisa né, passa por muitas situações e não aprende. Mas então nós sabemos que no ano 8 podemos ter problemas geológicos e  da natureza. Existem algumas questões que não dependem do homem ou do seu uso errado da natureza. Mas podemos ter abalos sísmicos com mais força, maremotos, terremotos e alguns fenômenos que estão ligados diretamente com a devastação que o homem está causando. Então a gente sabe que podemos ter problemas para chegar no ano 8 nessa situação, ele potencializa. 

Leiagora – Diante de algum prognóstico negativo, é possível alterar isso de alguma forma? 

Marco Aurélio - Não, porque o número traz o que está acontecendo ali, ele traz a resposta. O número te explica o que está acontecendo, o que deveria ter sido mudado era lá atrás. Imagina que você faz uma coisa errada agora, o ser humano passa por um ano 8 a cada nove anos, quando você chegar no próximo ano 8 vai ser hora que o universo vai dizer para a pessoa: “deixa eu puxar suas notas promissórias porque eu quero ver o que você está devendo”.

Em níveis universais para a humanidade, é o ano que a humanidade será cobrada. Sabendo que a humanidade vem devastando e já dando sinais de problemas climáticos sérios. Então nós vamos ter problemas com a natureza, instituições com problemas econômicos, falência, quebra, você pode ver que tem muitas empresas agrícolas no Mato Grosso que estão pedindo falência para tentar proteger. Será só desgraça? Não, como eu disse que terá pessoas, setores, governos e ações. O Brasil economicamente pode crescer muito e bater recordes que a gente nem imagina. Se souber aproveitar, o Brasil entrou no dia 7 de setembro, todo país tem um ano numerológico pessoal. O Brasil está em um ano 5 derivado de um 23. O que esse número rege? Contratos, intercâmbios comerciais, comércio exterior, parcerias, acordos e etc. Se o Brasil aproveitar esse ano pessoal dele, que é o ano 23 que favorece o incremento comercial e nós estando universalmente no ano 8, há indicativos que o Brasil pode terminar o ano que vem batendo recorde de crescimento como nunca imaginou. Nós temos uma perspectiva excepcional. Este ano já cresceu, acabou de sair o FMI, nós ultrapassamos o Canadá.  Eu falava que daqui dois anos o Brasil voltaria a crescer e ninguém acreditava. 

Então nós temos uma perspectiva para o Brasil econômica excelente. Eu não estou dizendo que o mundo não vai ter problemas, o mundo vai ter muito problema ano que vem porque o 8 é uma energia da rigidez, da inflexibilidade, da intolerância e da agressividade. Do outro lado, nós vamos ver um aumento dessa força intolerante, agressiva, de extrema direita, facismo, guerras, conflitos, conflitos comerciais, isso vai infelizmente potencializar. Violência urbana em toda a parte do mundo pode aumentar porque o 8 rege roubos, assaltos, golpes e a ambição desmedida. Então esse lado vai acentuar. Mas ele também vai incrementar a parte comercial, o crescimento de negócios, empresas, instituições e arrecadações também.

Leiagora - Tem pessoas que mudam a grafia do nome por conta da numerologia, pode falar um pouco sobre isso e citar exemplos famosos?

Marco Aurélio - Quando eu comecei a estudar, lá atrás, testei e é bobagem. Imagina que você faz uma tatuagem e depois você faz uma por cima. A primeira está ali embaixo. 

Eu já tive casos assim, crianças adotivas que foram registradas de manhã, o que é muito comum ainda. E aí os pais adotivos pegavam o bebê com a mãe biológica e iam no cartório na cidade ao lado e faziam outro registro. Ou seja, não dava nenhum dia, nem 12 horas de registro. Incrivelmente o primeiro registro é que a gente consegue escrever a personalidade. Porque eu já fiz muito mapa, então às vezes acontecia da pessoa chegar pra mim quando terminada a consulta e dizia assim: “ai Marco, você vai me desculpar mas não tem nada a ver comigo o que você falou”. Quando eu percebo, já pergunto se a pessoa foi adotada ou teve dupla cidadania.

Às vezes a pessoa vem com o segundo nome. Isso não funciona, precisa do primeiro nome. O primeiro registro é marcado a ferro e fogo, não tem conversa. É ali que está definida toda a dinâmica da sua vida. Agora, por exemplo, a pessoa quer usar um pseudônimo para escrever um livro ou um nome artístico. Mudar vai te trazer sucesso? Não, vamos usar um nome que rege a área de atuação, apenas isso. Mas ele não vai te trazer facilidade ou o que você quer. O que vocẽ tem que fazer é entender o que traz o que você quer. É você entender o seu mapa e o seu momento. 

Eu já tive por exemplo cantores que me procuraram dizendo que queriam mudar o nome para ter sucesso. Todo mundo quer ficar rico rápido hoje em dia. Teve um rapaz que me procurou ano passado e me relatou que ele quer ter sucesso, que o amigo dele tem e que ele não entende porque não estava tendo sucesso. O amigo falou para ele que precisava mudar o nome. Quando eu pedi os dados dele, pelo mapa, ele só teria possibilidade de deslanchar na vida artística depois dos 35 anos e ele estava com 23. O que ele tem que passar até os 35 ninguém vai tirar isso dele. Então ele vai ter que passar, não há nenhuma mágica que faça ele pular esse processo de aprendizado que ele tem até os 35.

Você já viu aqueles cantores que cantam há 20 anos em uma barzinho? Depois disso aconteceu, lógico que aconteceu, porque pegou um trânsito que já estava previsto para ele para deslanchar. E às vezes um mapa indica que a pessoa não tem nada a ver com aquele caminho. Por isso que eu falei que quem vem na minha mesa às vezes sai com um problema maior do que chegou. Não existe mágica, se tivesse eu já teria resolvido a minha vida e não teria passado por tantos perrengues. Claro que a gente vê muita gente vendendo essas facilidades, eu não faço isso. 

Leiagora - Tem alguma “receita mágica” para melhorar o ano?

Marco Aurélio - Não, a receita mágica é entender onde estou. O que esse momento exige de mim? Isso é fazendo o mapa. Tem gente que está botando para quebrar e aí eu olho o mapa da pessoa e ela não está no momento para fazer aquilo, está forçando a barra em um momento que não pode, apertando o parafuso e espanando. Eu estou dando um exemplo simples, são mais de 30 cálculos e existem outros aspectos que estão em trânsito no mapa de qualquer pessoa, de uma empresa, instituição e até de um país. E aí você consegue entender a dinâmica daquele momento. 

Leiagora - A numerologia indica alguma cor ou número que traga mais sorte para 2024?

Marco Aurélio - Essa é outra bobagem. A palavra sorte não tem conotação construtiva ou negativa. A pessoa que bateu o carro e teve uma perda total, isso é sorte. Mas é uma má sorte. A palavra sorte significa um acontecimento. Então a gente não utiliza isso, é bobagem. 

Isso é tudo bobagem “a cor que vai me trazer o axé”, isso é mistificação. Existe um conhecimento oculto, ocultismo, que é algo profundo. E existe a mistificação do ocultismo. A mistificação é um produto criado para o leigo, que é bobo e cai nessa. Mas o conhecimento oculto profundo não é isso que traz. Então quando faço a entrevista sempre explico para contribuir e desconstruir essas coisas. As pessoas têm que tomar consciência disso, eu trabalho para desmistificar muita coisa. A gente já tem muita coisa no Brasil que mistifica demais, religião e tudo. E nós vemos um povo que adora buscar facilidade. Não é assim, se vocẽ não ralar e não entender o que é a sua vida não vai chegar a lugar nenhum.
Clique aqui, entre na comunidade de WhatsApp do Leiagora e receba notícias em tempo real.

Siga-nos no Twitter e acompanhe as notícias em primeira mão.


 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet