Cuiabá, quinta-feira, 09/04/2020
13:36:01
informe o texto

Notícias / Política

19/02/2020 às 10:23

Silvio confirma propina de R$ 500 mil a Emanuel; Bussiki quer convocar Riva para CPI

A próxima oitiva será com o ex-governador Silval Barbosa no dia 3 de março

Kamila Arruda

Silvio confirma propina de R$ 500 mil a Emanuel; Bussiki quer convocar Riva para CPI

Foto: Leiagora

Silvio Cesar Correa, ex-chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa, voltou a reafirmar que o dinheiro entregue por ele nas mãos do prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB), era oriundo de propina. A confirmação foi feita na manhã desta quarta-feira (19), junto à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) criada na Câmara de Cuiabá para investigar o atual chefe do Executivo Municipal.

A propina teria sido paga no período em que Pinheiro exercia o mandato de deputado estadual. A ação foi registrada por Silvio por meio de uma gravação de vídeo, a qual deu origem à investigação no âmbito do Legislativo Cuiabano.

De acordo com ele, o valor negociado com os deputados seria de R$ 600 mil, no entanto, o prefeito recebeu de oito a dez parcelas de R$ 50 mil para fazer vista grossas nas obras do MT Integrado, o que dá algo em torno de R$ 400 a R$ 500 mil. “Reitero o que disse em minha delação, e também em depoimento anterior prestado nesta CPI”, disse o ex-chefe de gabinete. 

Questionado se o recurso seria destinado para o pagamento de pesquisa, como alega o prefeito, Silvio garante que não, reafirmando ser pagamento de propina. “Jamais”, afirmou.

Além disso, a CPI ainda investiga uma possível obstrução de justiça por parte do emedebista, através do ex-secretário de Estado Allan Zanatta. Uma gravação apreendida pela Polícia Federal expôs uma conversa entre o ex-secretário e Silvio. No áudio, o Zanatta e o ex-assessor de Silval comentam sobre a filmagem em que Pinheiro aparece recebendo maços de dinheiro no Palácio Paiaguás.

O áudio foi apreendido na residência de Pinheiro em setembro do ano passado durante a Operação Malebolge, 12ª fase da Operação Ararath, que teve o prefeito como um dos alvos.

Silvio afirma que o encontro dos dois se deu a seu pedido. Na oportunidade, ele pediu dinheiro emprestado a Zanatta, tendo em vista que estava em uma situação financeira delicada. “Ele me emprestou dinheiro, mas em nenhum momento me pediu faro em nome do Emanuel”, garante.

Apesar disso, o ex-chefe de gabinete afirma que se sentiu traído por Zanata. “Me senti traído no sentido de prejudicar a minha delação, pois ele estava ali como amigo, e ele abriu seu coração pra mim, assim como eu abri o meu”, disse.

Para ele, a intenção era “beneficiar” algumas pessoas, dentre eles o prefeito da Capital. “A grosso modo sim”, completou.

Atualizada às 10h42 - O clima esquentou na CPI. Isto porque Abílio começou fazer perguntas a Silvio que seriam direcionadas ao vereador Toninho de Souza. O presidente da CPI, Marcelo Bussiki, apaziguou a situação. 

Atualizada às 10h51 - Toninho rebateu Abílio: "ele veio aqui não para falar com o depoente, não para falar sobre investigação, ele veio direcionado a este vereador por conta da condução de um processo na Comissão de Ética que ele nao aceita até hoje". 

Atualizada às 10h53 - Silvio respondeu as perguntas de todos os membros da CPI, sendo eles os vereadores Marcelo Bussiki (PSB), Toninho de Souza (PSD) e Sargento Joelson (PSC), presidente, relator e membros, respectivamente. Além disso, também não êxitou a responder os questionamentos dos parlamentares que acompanhavam a sessão da Comissão. Em todas as suas respostas, Silvio foi enfático em dizer que Pinheiro recebeu propina, e que Zanatta queria beneficiá-lo com a gravação apreendida.

Atualizada às 10h56 - Os membros da CPI não descartam a possibilidade de vir a requerer uma acareação entre Silvio e Zanatta para esclarecer a questão referente à suposta obstrução de Justiça por parte do prefeito. Vale ressaltar que, na ocasião do encontro gravado por Zanatta com Silvio, Pinheiro já respondia pelo Palácio Alencastro.

Atualizada às 10h57 - O vereador Luis Claudio, líder do prefeito, pediu permissão para apresentar junto à CPI o parecer do MPF sobre a possível obstrução de Justiça por parte de Emanuel Pinheiro. Ele solicitou que o documento seja lido na próxima sessão da CPI. 

Atualizada às 11h - Bussiki destaca que, diante da confirmação da delação do ex-deputado José Riva, ele seria uma peça importante para ser ouvido na CPI, pois era o presidente da Assembleia na ocasião do pagamento de propina. 

Atualizada às 11h04 - Encerram as perguntas e Silvio se colocou à disposição da CPI, para, a qualquer momento ser convocado para elucidar fatos sobre a investigação.

O próximo a ser ouvido é o ex-governador Silval Barbosa no dia 3 de março. 

 
 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet