Cuiabá, terça-feira, 22/09/2020
15:27:39
informe o texto

Notícias / Judiciário

10/08/2020 às 17:44

Sem tornozeleira ou fiança, Justiça solta homem que queria agredir prefeito

Como medidas cautelares foram impostas a proibição de troca de residência e a obrigação de comparecer em juízo

Camilla Zeni

Sem tornozeleira ou fiança, Justiça solta homem que queria agredir prefeito

Juiz Jeverson Quinteiro, plantonista do fim de semana

Foto: TJMT

O juiz plantonista do Fórum de Cuiabá, Jeferson Quinteiro, da 2ª Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher, determinou a soltura de Gustavo Lima Franco, de 28 anos, sem a imposição de monitoramento por tornozeleira eletrônica ou pagamento de fiança.

O rapaz foi preso na noite de sábado (8), acusado de agredir um segurança da Prefeitura de Cuiabá e ameaçar bater no prefeito Emanuel Pinheiro. Já na Cadeia Pública de Várzea Grande ele também teria resistido a procedimentos, tentou fugir e acabou levando três tiros na perna.

Leia também: Preso é encontrado morto dentro de um tambor de água em cadeia

De acordo com a assessoria do Tribunal de Justiça, a decisão apenas determina que Gustavo compareça perante as autoridades quando solicitado, e não mude de residência sem permissão prévia da Justiça, conforme os artigos 327 e 328 do Código de Processo Penal. O descumprimento às determinações enseja no retorno do acusado à cadeia.

Agressão
Oposicionista à gestão de Emanuel Pinheiro, o rapaz de 28 anos foi, na noite de sábado, até a sede da Administração Regional Leste, localizada no bairro Jardim das Américas. No espaço, que fica próximo à casa do prefeito, o acusado teria agredido o segurança com chutes, pontapés e ainda teria danificado a motocicleta do trabalhador, que ficou com diversos ferimentos.

De lá ele partiu em direção à casa do prefeito. Segundo o segurança, ele estava com machado na mão e alertava que iria dar um "presente" a Emanuel Pinheiro. Contudo, a polícia foi acionada e conseguiu prendê-lo antes que ele chegasse ao endereço.

Não bastasse a confusão criada, Gustavo ainda causou problemas na Cadeia Pública do Capão Grande, em Várzea Grande, para onde foi levado. 

Conforme o governo do Estado, ele teria tentado fugir, na manhã desse domingo (9), depois de se recusar a passar por um procedimento de revista. Ele teria afirmado que, por ter nível superior, não iria se sujeitar ao procedimento.

Ao desobedecer a ordem policial e ainda tentar fugir do espaço, o homem acabou baleado na perna, atingido por três tiros. O governo garantiu que as balas são de borracha e que o Samu o socorreu para o Pronto-Socorro.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet