Cuiabá, quarta-feira, 02/12/2020
14:16:30
informe o texto

Notícias / Política

14/09/2020 às 19:10

Jayme sobre Mauro: 'quem não estiver satisfeito pode tomar outro caminho'

O senador segue insatisfeito com a postura antipartidária do governador que recusa apoiar Julio Campos

Alline Marques e Eduarda Fernandes

Jayme sobre Mauro: 'quem não estiver satisfeito pode tomar outro caminho'

Foto: Eduarda Fernandes / Leiagora

A insatisfação dos Campos com o governador Mauro Mendes (DEM) parece estar longe de um fim e ao que tudo indica também tem se tornado insustentável a permanência do chefe do Executivo na sigla, ainda mais por rejeitar apoiar o ex-deputado federal Júlio Campos (DEM), tanto em março, quando lançou candidatura ao Senado, quanto agora em que resolveu ser suplente de Nilson Leitão (PSDB) na eleição suplementar que ocorrerá em 15 de novembro.

Indignado, o senador Jayme Campos (DEM), irmão de Júlio, deixou claro que não aceita traição e aproveitou para lembrar que “nenhum político sobrevive sozinho” e “quem não estiver satisfeito pode tomar outro caminho”. O recado é direto ao governador Mauro Mendes e foi dado na noite desta segunda-feira (14) durante a convenção do DEM para escolher o rumo da sigla para eleição ao Senado.

Mendes inclusive chegou para participar da votação que deve levar Júlio Campos para primeira suplência de Leitão, mas também deve liberar alguns filiados para apoiar outros nomes, dentre eles, o de Carlos Fávaro (PSD) que é o candidato do governador. Vale destacar que o chefe do Executivo foi o responsável por fazer o vice-governador Otaviano Pivetta (PDT) desistir do pleito, justamente para ficar livre para apoiar o social-democrata.

Jayme lembrou ainda que ele e o irmão possuem uma história dentro da legenda. Júlio inclusive é filiado no partido desde a época em que era o Arena, partido da ditadura militar, que depois mudou para PFL, vindo a ser o DEM. 

“Respeito meus aliados e meus companheiros, por isso sobrevivemos por seis mandatos, nenhum político sobrevive sozinho. Inclusive, se Fabio for candidato vai ter nosso apoio, porque sou partidário, agora não aceito, em tempo algum, em 69 anos de idade, até pela minha trajetória e pela minha biografia, ninguém nos proibir de disputar um cargo que não agrada A, B ou C. Quem não tiver satisfeito pode tomar outro caminho, até porque o Mauro já tinha se manifestado que não apoiaria Julio na eleição de 26 de abril. Júlio de forma humilde recuou e agora também não vai apoiar, ai não né professor”.

Mauro, por outro lado, tem um histórico de ‘implodir’ os partidos por onde passa. Foi assim no PR, partido pelo qual disputou a primeira eleição em 2008 para prefeito de Cuiabá, depois no PSB, e agora no DEM. Especula-se ainda nos bastidores, que o governador já estaria de malas prontas para o próximo partido, o mais provável, é, inclusive, que ele siga para o Podemos.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet