Cuiabá, segunda-feira, 14/06/2021
01:47:19
informe o texto

Notícias / Política

27/04/2021 às 14:40

Após 5 horas, questionamentos sobre medicamentos vencidos ficam sem respostas

A secretária de Saúde de Cuiabá foi sabatinada pelos vereadores, mas não respondeu à maioria dos questionamentos feitos pelos parlamentares

Da Redação - Alline Marques / Da Reportagem Local - Kamila Arruda

Após 5 horas, questionamentos sobre medicamentos vencidos ficam sem respostas

Foto: Assessoria

Por que em seis meses não sem tem um resultado da investigação realizada sobre os medicamentos vencidos? Por que os órgãos de controles não foram comunicados sobre a suspeita de irregularidade? E quantos milhões foram gastos com os remédios fora do prazo de validade? Todas as perguntas ficaram sem resposta após cinco horas de sabatina à secretária de Saúde de Cuiabá, Ozenira Félix, que esteve na Câmara de Cuiabá nesta terça-feira (27).

Em falas vagas, tanto a gestora, quanto outros servidores que participaram da sessão, acabaram apenas se ponderando em explicar superficialmente os procedimentos adotados para distribuição e descarte do remédios. O fato, inclusive, não agradou os parlamentares de oposição e o clima chegou a esquentar durante as perguntas da vereadora Maysa Leão (Cidadania), uma das que esteve presente no Centro de Distribruição de Medicamentos e Insumos da Capital. 

Outros questionamentos sobre o por quê esses medicamentos não foram distribuídos e por quanto tempo ficam estocados acabaram ficando no vácuo. Wille Calazans, coordenador técnico de Atenção Secundária, se reumiu a falar que devido à pandemia alguns medicamentos acabaram tendo uma baixa demanda. Porém, foi rebatido por Maysa que alegou que a Amoxicilina é um dos antibióticos que podem ser utilizados contra infecção. 

Outro item que bastante questionado pela oposição é a lata de leite Ninho que atendem mães com bebês. Durante a fiscalização, diversas latas de leite em pó foram encontradas fora do prazo de validade. 

O vereador Dilemário Alencar (Podemos), por exemplo, cobrou que fosse implementada ações mais efetivas para evitar que novos medicamentos venham a perder a validade. “A senhora disse que abriu procedimento criando uma Comissão, mas não demonstrou que fez ações concretas para cessar os medicamentos vencidos. É notório que milhares de medicamentos continuaram tendo os prazos vencidos nos meses seguintes, inclusive alguns ainda em abril deste ano”, apontou.

Ele ainda foi mais além, e questionou a secretária sobre o motivo que a levou a não denunciar o fato aos órgãos de controle, uma vez que a situação foi identificada assim que ela assumiu o comando da Secretaria de Saúde em outubro do ano passado. 

Ozenira apenas alegou que não tinha como fornecer tais informações porque o levantamento sobre o caso ainda não foi finalizado pela pasta e alegou que o processo está em sigilo. Logo no início da sessão, a secretária apontou que a ação dos vereadores teria, inclusive, atrapalhado a investigação, porque alertou possíveis pessoas que teriam, supostamente, cometido alguma irregularidade. 

A vereadora Edna Sampaio (PT), por sua vez, criticou a postura da integrante do primeiro escalão municipal, que no início da sessão ordinária, se emocionou ao relatar que tem sido vítima de racismo. Mulher negra, a parlamentar lamentou os ataques, mas alertou que a denúncia se trata de um problema grave, que inclusive afeta diretamente à população preta e perda de Cuiabá, que é quem mais precisa desses medicamentos. 

Por fim, Ozenira garantiu que irá ampliar o grupo de trabalho que está trabalho no levantamento de todas as informações e dados referente aos medicamentos vencidos para dar mais agilidade ao procedimento. Além disso, afirma que irá elaborar um cronograma de trabalho para finalização de toda investigação.

A secretária disse ainda que está à disposição para novas explicações, colocou todos os adjuntos da pasta à disposição dos vereadores, que agora criaram uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Medicamentos para apurar o fato. A CPI será comandada por Lilo Pinheiro (PDT), que foi o autor do requerimento para instalação do procedimento investigatório. 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet