Cuiabá, terça-feira, 11/05/2021
19:50:30
informe o texto

Notícias / Judiciário

04/05/2021 às 11:00

MT diz ao STF que não usou dinheiro da Lava Jato no combate à covid e pede remanejamento

Governo pediu autorização para usar o montante no combate ao desmatamento na Amazônia Legal, ou seja, destino original do recurso

Camilla Zeni

MT diz ao STF que não usou dinheiro da Lava Jato no combate à covid e pede remanejamento

Foto: Mayke Toscano / Secom-MT

O Estado de Mato Grosso informou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que não utilizou os R$ 79,4 milhões recebidos da Operação Lava Jato no combate à pandemia da covid-19. O governo ainda pediu a autorização para remanejar o orçamento.

Em ofício enviado ao ministro Alexandre de Moraes na segunda-feira (3), a Procuradoria Geral do Estado informou que, segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES), Mato Grosso já gastou R$ 642,2 milhões entre aquisições e contratações, obras e gasto com pessoal para esse período de pandemia, tudo de recurso próprio.

Citou, por exemplo, a abertura de 627 leitos de UTI em um ano, entre os pactuados, próprios e os em parceria com municípios. No Hospital Metropolitano de Várzea Grande, por exemplo, foram abertos 109 leitos novos. Destacou, ainda, o funcionamento do Centro de Triagem em Cuiabá, que atende a todos da baixada cuiabana.

"Apesar da autorização para uso dos recursos financeiros vinculados à Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental nº 568 no enfrentamento à pandemia, o Estado de Mato Grosso cumpriu com tais objetivos, sem qualquer prejuízo para a população, com recursos de transferências da União e, substancialmente, com recursos próprios", explicou a PGE. 

Dessa forma, agora Mato Grosso pediu a autorização para que o valor enviado, de R$ 79,4 milhões, seja remanejado. O estado quer que ele seja aplicado na prevenção, fiscalização e combate a incêndios na Amazônia Legal e na fronteira. 

Cabe destacar que esta já era a finalidade inicial do recurso. Em 2019, o STF determinou que parte de uma cifra de R$ 2,6 bilhões recuperados pela Operação Lava Jato, como multas pelos esquemas criminosos envolvendo a Petrobrás, fosse destinada para o combate ao desmatamento e a outros crimes ambientais na área da Amazônia Legal, que compreende oito estados brasileiros. Outra parte dos recursos seria para a Educação e para o Ministério da Cidadania.

Entretanto, com a chegada da pandemia, o governador Mauro Mendes (DEM) e outros gestores pediram autorização para usarem o recurso no combate à disseminação do vírus, o que foi prontamente atendimento pelo STF. 

Recentemente, em entrevista à CBN Cuiabá, a secretária de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti, informou que, no entanto, antes mesmo de pedir autorização ao STF, o governador já teria destinado parte do valor recebido para o Meio Ambiente. 

"De fato, o STF permitiu que os estado usassem [o recurso] para covid-19. Em Mato Grosso, parte dos R$ 79 milhões é destinado para combate ao desmatamento, são R$ 42 milhões mais precisamente, por entender que a pauta prioritária para Mato Grosso é ambiental, obviamente, sem desprestigiar a questão da covid. Mas, dentro deste ajuste financeiro, manteve-se, no caso, o valor para aplicação no plano de ação de combate ao desmatamento e aos incêndios florestais", disse, acrescentando que o valor já está previsto na Lei Orçamentária Anual. 

Saiba mais 

MT terá que explicar ao STF onde aplicou R$ 79,4 milhões recebidos de multas da Lava Jato

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet