Cuiabá, quinta-feira, 28/01/2021
02:06:28
informe o texto

Notícias / Judiciário

22/11/2020 às 17:47

Em delação, Riva diz que pegou propina de R$ 4 mi para beneficiar atacadistas

O pagamento foi realizado pela Associação Matogrossense de Atacadistas e Distribuidores

Leiagora

Em delação, Riva diz que pegou propina de R$ 4 mi para beneficiar atacadistas

Foto: Reprodução

Em mais um trecho de sua delação premiada, o ex-presidente da Assembleia Legislativa do Mato Grosso José Geraldo Riva afirmou que ele, o ex-governador Silval Barbosa e diversos deputados receberam propina de R$ 4 milhões para aprovar a Lei nº 9.855/2012, que tratava da carga tributária do ICMS em operações envolvendo atacadistas e distribuidores.

Segundo o delator, o pagamento foi realizado pela Associação Matogrossense de Atacadistas e Distribuidores, em cheques que registravam baixos valores, emitidos por várias empresas.

Riva apontou ainda que a negociação da propina foi conduzida pelo então presidente da AMAD, Sérgio José Gomes. Ainda segundo o delator, as 'discussões técnicas' sobre o suborno envolveram não só Gomes, mas outros membros da organização, como Sebastião dos Reis Gonçalves (mais conhecido como Tião da Zaeli), Oscar José Soares do Prado e Fernando Mendonça, além de Xisto Alessandro Bueno, assessor parlamentar da ALMT - este último sem participar do pagamento de propina.

"Estive no gabinete do governador Silval Barbosa juntamente com o Sérgio, quando repassamos o valor correspondente a R$ 50%", declarou Riva, em depoimento gravado em vídeo, em referência a uma parcela de R$ 2 milhões.

Riva, por sua vez, embolsou R$ 850 mil. O restante, R$ 1,15 milhão, acabou divido entre deputados estaduais. O colaborador não soube apontar o nome dos parlamentares envolvidos, com exceção de Dilmar Dal Bosco e Gilmar Fabris.

"Não posso assegurar quem foram os outros beneficiados, até porque era muito comum que alguns atacadistas do interior repassassem valor direto a deputados, como ocorreu comigo lá em Sinop, no supermercado Machado, quando recebi uma parte desse valor de R$ 850 mil", explicou Riva.

"O projeto de lei foi aprovado antes do pagamento de propina e até deputados que não receberam qualquer verba ilícita, votaram em favor do segmento, não houve resistência. Jamais foi tratado o quanto os atacadistas deixariam de pagar em tributos", registra ainda o anexo da delação de Riva.

A reportagem busca contato com os citados por Riva. O espaço está aberto para manifestações.
Estadão Conteúdo

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet